sábado, 29 de abril de 2017



morrerei de inanição
tenho a boca bem cerrada
pois são serras, dentes são
e as palavras serram erradas

e as palavras encerradas
vão pro peito, onde perdura
dura pena, encarceradas
sem um leito ou leitura

sem um leito, na lei dura
do deserto soterrada
minha boca, bem sei, fura
terra e rio certo errada


sexta-feira, 28 de abril de 2017

quinta-feira, 27 de abril de 2017

terça-feira, 25 de abril de 2017

.

a car parks for oil
black blood flooding life back -
blood back from red soil

.

.

corre homem quando fome
cuja face limpa suja
lhe ocorre - quando come
vira quase garatuja


.

faz tempo

.

faz tempo
linha a linha
dentro e fora
sua mais antiga
pois infinda
obra, que ora
definha, ora
a devora

faz tempo
que parte faço
num papel à parte
em meio à face
desse calhamaço
onde se alinha
hora a hora
a vida à arte

faz tempo
obra sem fim
sem começo
e sentido meço
sobre dobras
e rugas as runas
e se desdobra
a parte de mim

.