quarta-feira, 30 de julho de 2014

sabatina de dilma



embaixo de sua batina
mil lamúrias foram ouvidas
mas algumas das mentiras
entram em saias, comovidas

carnificina



a matança continua...
ser humano é ser um porco
condenado à fartura
de razão para ser morto

terça-feira, 29 de julho de 2014

nossa morta acende

aqui nos reunimos, lenço à mão
com vozes embargadas, feições duras
na chuva que acompanha as sepulturas
de toda relação, quer viva ou não

de nossa, que dizer? foi nosso chão
polido com suor, onde perdura
apesar de nosso esforço, mancha escura
raiz de nossos males desde então

andava muito pálida e soturna
no céu, o lago azul já não lhe prende:
voando qual barquinho, as nuvens fura

pois sempre o horizonte está à frente
e assim também a vida continua.
num barco à vela, nossa morta ascende



* o título e mote do soneto foi inspirado num título de um poeteiro de meia tigela de amor: "Nosso Amor Transcende"

domingo, 27 de julho de 2014

aquarela


busco aquela qualidade indefinida
que se encontra nas melhores aquarelas
onde arde a luz solar e te convidas
a viagem matinal por barco a vela

e transporta além do espaço onde se abriga
solo fértil para manchas e procelas
em torrentes derramando-se aguerridas
à mão firme que pincela sobre a tela

não está no enquadramento ou nas cores
nem tampouco em seu traçado ou naquela
paisagem sempre em mente aonde fores

é a cria dos teus óleos em m'ia pena
a tornar uma moldura uma janela
onde enfim tu me encontras e me acenas

.


Deus não se vê, nem se prova
vive de fé, tão somente
perda de tempo e de mente
buscar por luz ante à cova


.

frases num dia frio


quem nunca muda, nunca árvore


friso que o frio às vezes traz um sorriso


quarta-feira, 23 de julho de 2014

.

os dias da velhice são infinitos
são sempre a mesma coisa indefinida
retalhos de memórias d'outra vida
bailando em frente a olhos que não fito

adia toda espera, todo grito
conforta toda dor imerecida
saber que tudo passa, na saída
por ponto em horizonte tão bonito

o mundo gira, gira e continua
pessoas vão e vêm e vivem vãs
bebês têm mesmo céu que suas mães

qual céu, que, indistinto e todo azul
a vista toda abarca, norte a sul
o velho, qual bebê, vê a vida nua

.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

sexta-feira, 18 de julho de 2014

.


nas asas do imaginário
de queijo se faz a lua
na nasa pilotos vários
desejam fatia tua


.

.

mancha no vidro
não lembra despedida
lembra sorriso

fóssil no vidro:
dedo - no sol bem cedo
ri colorido

.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

...


inútil todo esse esforço
diário com que semeias
nem fruto ou mesmo caroço
produz-se de grão de areia


...

segunda-feira, 14 de julho de 2014

quarta-feira, 9 de julho de 2014

quinta-feira, 3 de julho de 2014

branco

.

cabem incontáveis pontos numa folha em branco
incontáveis linhas entre esses pontos
incontáveis tramas
incontáveis contos
tantos risos, dramas e prantos cabem
de ponta a ponta tanto personagem
que só no rodapé é que se nota:
cabe todo delírio, por mais selvagem
exceto o branco que o papel denota

.