quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015




deste um sentido à vida
e o sentido era leste:
leste, leste toda vida
mas nada leste que preste





quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

nada existe além de mim
sou só eu e m'nhas memórias
nelas trilho rumo ao fim
e se apagam, irrisórias

e se apagam, irrisórias
o sustento de meus passos
finda a rota, finda a glória
também dor, também cansaço

também dor, também cansaço
são memórias, apagadas
quando apagam-se olhos baços
ascendem os pés e as pegadas

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

pensamento puxa um outro
de mãos dadas, são um trem
quando partem, um é solto
outro engata a mais cem

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

canção calórica

nada vem do vão da janela
não vem brisa, não vem ela
nada bem está quem precisa
duma ducha, sem camisa

nada tem quem larga e não puxa
- com mais força! e mais, puxa! -
nada além de choro e lamento
quando corta fio o vento

nada bem quem deixa pra trás
o sofá mofado dos pais
nada bem melhor e molhado
quem do mar acena ao passado

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

lâmina cega não corta
mas quem vê logo pressente
pânico e dor na aorta
quando a sente, cego, rente